Atletas da FMD Blumenau são medalhistas no Sul-Americano de Karate

Representantes da Associação Blumenau de karate conquistaram oito medalhas no campeonato disputado na Bolívia. Delegação Brasileira sagrou-se campeã geral da competição

O melhor karate da Américas está no Brasil. E Blumenau, com a Associação Blumenau de Karate/Ipiranga/Barão/Park Europeu/Promoshirt/Arawaza/FMD Blumenau faz parte desta história. No último sábado, dia 01 de julho, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, a delegação brasileira conquistou o título de campeã geral do Campeonato Sul-Americano Sub-14, Cadete, Júnior, Sub-21 e Sênior. Os atletas blumenauenses trazem na bagagem oito medalhas, sendo duas de ouro, duas de prata e quatro de bronze (ver tabela). Por categorias, o Brasil levantou o troféu de pentacampeão Sênior e o bicampeonato das categorias de Base. Vale destacar, que em maio, em Curaçao, o Brasil sagrou-se tetracampeão do Pan-Americano Sênior.

A FMD Blumenau/Associação Blumenau de Karate contou com nove atletas defendendo o Brasil no Sul-Americano. Pelo número de medalhas conquistadas, a participação dos blumenauenses foi significativa. “No geral, todos fizeram a sua parte. O Sul-Americano é uma competição difícil, de expressivo nível técnico. Acredito que estamos no caminho certo e nossos atletas mostraram determinação e muita qualidade técnica”, avalia Vanderlei de Oliveira, treinador da Seleção Brasileira de Karate e da FMD Blumenau.

Novos desafios

Com os resultados obtidos na Bolívia, a Associação Blumenau de Karate garantiu vagas em quatro categorias para representar o Brasil no Campeonato Pan-Americano Sub-14, Cadete, Júnior e Sub-21 entre os dias 21 e 26 de agosto, em Buenos Aires, na Argentina. Vitória Leite, campeã na Cadete até 47 quilos; Luisa Klettenberg, ouro na Sub-14 acima de 45 quilos; kata Equipe Sub-21, vice-campeão – com Gabriela da Silva, Júlia Krüger e Natanye Valêncio e Welton Barbosa, na Sub-21 até 75kg.

Na opinião de Vanderlei, a seriedade do trabalho desenvolvido pela atual diretoria da Confederação Brasileira de karate (CBK), comissão técnica e atletas fez a diferença na busca pela hegemonia continental. “Todos trabalhamos com o objetivo de colocar o Brasil dentre as grandes forças da modalidade em nível mundial”, comenta. Deve-se destacar, que em 2016, o Brasil terminou o ano em quarto lugar no ranking mundial da World Karate Federation (WKF).

O Brasil participou do Sul-Americano, com 118 atletas e conquistou 80 medalhas, das quais, 22 de ouro, 21 de prata e 37 de bronze. A Venezuela ficou em segundo lugar, com 27 medalhas, sendo 13 de ouro e o Chile em terceiro, com 46, com 11 de ouro. “A quantidade de medalhas conquistadas pela delegação brasileira mostra a qualidade técnica de nossos atletas, mesmo considerando o ótimo nível técnico da competição”, analisa Vanderlei.

Deixe uma Resposta